Polícia Civil do Estado do Acre

Polícia Civil deflagra operação Elo Quebrado e prende policial penal e três pessoas envolvidas em crimes graves no presídio de Cruzeiro do Sul

Em cumprimento à operação Hórus, Programa Guardiões das Fronteiras, a Polícia Civil do Acre (PCAC), por meio do Núcleo Especializado em Investigações Criminais – NEIC/CZS, na manhã de hoje, 15, deflagrou a Operação Elo Quebrado, dando cumprimento a quatro mandados de prisão e um mandado de busca e apreensão, culminando com a prisão do Policial Penal E. A. de S., 50 anos e dos detentos G. P. S., de 30 anos; F. de S. M., de 24 anos e J. J. R. P., 42 anos, pelos crimes de Tráfico de Drogas/ Receptação/Favorecimento Real/Corrupção Passiva/ Promover, constituir, financiar ou integrar organização criminosa.

A Polícia Civil já vinha há alguns meses acompanhando reiteradas ocorrências relacionadas à entrada e apreensões de objetos ilícitos no interior do presidio Manoel Néri da Silva, em Cruzeiro do Sul, inclusive, já tendo sido apreendidos vários aparelhos celulares e drogas pelos Policiais Penais, bem como no dia 06 de julho de 2023, a PCAC prendeu em flagrante duas mulheres que tentaram entrar no presídio com material entorpecente embalado em formato cilíndrico de cor preta, sendo que a frequência de apreensões de objetos ilícitos no presídio chamou a atenção da Polícia pela possível facilitação de algum agente público lotado naquele estabelecimento prisional.

Diante dessas suspeitas, foram iniciados procedimentos investigatórios, com coletas de informações e ofícios à Direção do Presídio para que fossem fornecidas imagens do sistema de monitoramento e demais elementos de provas pertinentes à investigação.

Após coleta e apuração de todas as provas e informações, a investigação pôde constatar, inclusive por meio de imagens, que o Policial Penal E. A. de S., 50 anos, foi responsável pelo transporte e entrada no presídio, de drogas, celulares e outros objetos com entrada proibida no presídio, bem como foi possível identificar quais detentos receberam os objetos ilícitos do policial penal.

Com base no conjunto probatório, a Autoridade Policial representou junto ao Poder Judiciário pelos mandados de prisão e busca e apreensão em desfavor dos autores das condutas criminosas, culminando com a prisão de todos os envolvidos na data de hoje.

O nome da operação se dá em razão do Elo Quebrado entre o servidor de conduta ilícita e administração pública, uma vez que não se pode admitir que servidores com condutas reprováveis continuem a desempenhar suas funções em órgãos públicos, muito menos dentro de Órgãos da Segurança Pública, que exercem função essencial e sensível na estrutura do Estado.

Frise- se ainda, que a Polícia Penal do Juruá é formada por policiais de extrema competência e que por diversas vezes contribuíram com investigações da polícia civil, sendo este um caso isolado de servidor público que optou por se beneficiar de condutas criminosas em benefício próprio, em total discordância com a conduta da maioria dos Policiais Penais dessa regional.

Após os procedimentos de praxe, os autores foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil, juntamente com os materiais apreendidos para as providencias legais.

Assessoria/ PCAC

contador de visitas para blogger